segunda-feira, 30 de março de 2009

historia - treinamento de natação em 1951

Olá pessoal!
Hoje no dia de vídeos históricos, temos um treinamento em Hawthorn Bath, no ano de 1951!

fonte: www.youtube.com

sexta-feira, 27 de março de 2009

FISIOLOGIA - TRÊS VIAS METABÓLICAS


Existem três vias metabólicas para gerar energia: o sistema ATP-PC, a glicólise e o metabolismo aeróbio. Também sabemos que existem três substratos dos quais a energia celular pode derivar. Finalmente, sabemos que cada via tem definido seus limites ou capacidades máximas "treináveis" para diferentes níveis.


ATP-PC - a energia (praticamente) pronta para usar.


No início, a primeira via metabólica fornece energia derivada do ATP e PC intracelulares disponíveis no interior da célula muscular. Essa via envolve os fosfagênios ATP e PC e uma única enzima, a creatinaquinase, que catalisa a reação entre os dois. Uma segunda via, chamada de sistema mioquinase, gera ATP (e um AMP) a partir de duas moléculas de ADP. Ela atua para suavizar a queda de ATP quando as necessidades de energia são extremas. Além de uma descrição dos intermediáriose da capacidade energética da via, não há muito mais o que dizer sobre a contribuição dos fosfagênios para uso imediato. Os níveis de fosfagênios aumentam pouco com o treinamento essencialmente em proporção aos aumentos do volume do músculo. Estimativas do tempo de recuperação dessa via, depois de completa exaustão dos intermediários de alta energia, variam de instantaneamente a 30 segundos.

PAPEL DAS PERNAS NA PROPULSÃO DA NATAÇÃO

No tempo em que a teoria do arrasto propulsivo estava no auge da sua popularidade, não se acreditava que as pernas fossem um agente propulsivo significativo na maioria dos nados, porque argumentava-se então, que, exceto no nado de peito, os pés e as pernas moviam-se para cima e para baixo, e não para trás, por meio da água. Atualmente, compreendemos que a água é deslocada para trás pelos movimentos para cima e para baixo das pernas, do mesmo modo que os movimentos verticais dso braços.
Os nadadores devem ser capazes de acelerar seu movimento para a frente com a pernada de adejamento e com as pernadas de golfinho, de uma maneira muito parecida com a de um golfinho, ao ser impulsionado pelos movimentos verticais de sua cauda.
As figuras abaixo mostram como é feito o deslocamento da água através das pernas de adejamento e golfinho (a situação é a mesma, a diferença é que uma é alternada e a outra simultâneas) e a pernada de costas.
Na segunTamanho da fonteda e terceira ilustrações, também dá para notar a diferença que faz uma amplitude maior da flexibilidade dos tornozelos, sendo que o nadador da segunda figura consegue, em virtude de uma maior flexibilidade dos tornozelos, uma propulsão um pouco maior.




propulsão da perna de adejamento ou de golfinho

Negrito

pernada com maior flexibilidade do tornozelo

pernada com maior flexibilidade do tornozelo

pernada de costas

quinta-feira, 26 de março de 2009

COMPETIÇÕES.....


Blogueiros.....

A partir de hoje, vou colocar datas e locais de competições de natação que serão disputadas no final de semana seguinte. O objetivo é informar aos professores e pessoas que gostam de competição, ou que nunca assistiram uma ao vivo, onde terá um evento.

As competições de natação, excetuando-se grandes eventos, são sempre de graça e, quando são realizadas em clubes, o acesso às pessoas que querem assistir deve ser permitido, portanto olhem a agenda e divirtam-se, prestigiem nosso maravilhoso esporte.

Esta semana vou colocar os eventos da FEDERAÇÃO AQUÁTICA DE SÃO PAULO, mas nas próximas semanas vou ampliando o leque de federações, certo?

Para ver o calendário completo da FAP, clique aqui



27 a 29/03/2009
XXI TROFÉU FAUSTO ALONSO DE NATAÇÃO, MARÍLIA (FAP)
YARA CLUBE DE MARÍLIA

28/03/2009
TORNEIO REGIONAL PETIZ E INFANTIL, SANTOS (7ªR)
INTERNACIONAL

28/03/2009
CIRCUITO MIRIM - 1ª ETAPA, SÃO PAULO (1ªR)
SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA

28 a 29/03/2009
CURSO DE ARBITRAGEM EM NATAÇÃO, RIBEIRÃO PRETO (5ªR)
UNAERP


FISIOLOGIA DAS ATLETAS MASTERES - GORDURA CORPORAL


Parece não haver diferença na composição corporal entre homens e mulheres até alum momento entre 12 e 14 anos de idade. Por ocasião da puberdade, os ovários da mulher desenvolvem-se e tem início a secreção do hormônio estrogênio. O estrogênio aumenta o crescimento ósseo durante aproximadamente dois anos, e depois desse período a mairia das mulheres teá atingido sua altura máxima. Ao mesmo tempo, os homens começam a secretar testosterona e vivenciam uma aceleração do crescimento de magnitude consideravelmente maior, que continua até depois dos 20 anos.


O estrogênio também estimula o desenvolvimento das características sexuais secundárias da mulher. Os quadris começam a alargar, os seios desenvolvem-se e aumenta a quantidade de gordura corporal. Em decorrência dessas alterações, a mulher média, quando comparada ao homem médio, tem 13 cm menos de altura e é 14 a 18 kg mais leve. Seu peso corporal magro (ossos e tecido muscular) é inferior em cerca de 18 a 22 kg e tem mais 3 a 6 kg de gordura.


Aparentemente, um peso maior de gordura não impede o desempenho de uma nadadora, desde que sua porcentagem de gordura corporal não seja superior a um valor crítico de aproximadamente 20%. Talvez isso ocorra porque a gordura adicional faz com que o corpo flutue mais, de modo que qualquer aumento na resistência da água, que poderia ser causado pelo excesso de tecido, é contrabalançado pela melhor flutuabilidade - mas até certo nível (20%).


quarta-feira, 25 de março de 2009

A PRIMEIRA NOTÍCIA SOBRE NATAÇÃO NA REVISTA VEJA...


Por acaso, você tem noção de quando foi a primeira notícia da natação brasileira na revista VEJA - uma das mais importantes do Brasil?

Foi na edição numero 3, do dia 25 de setembro de 1968 e está escrito o seguinte (em reprodução).


OS OLÍMPICOS

Brasil pode vir do México com três medalhas de ouro.


(...) Natação: O destaque é Fiollo (dezoito anos), que já está no México, onde terá 33 dias para aclimatar-se. Êle acredita que possa até bater o recorde mundial (1'6''4 do soviético Pankim). Está fazendo 1'7'' e já fez em treinos menos tempo que o seu recorde, atualmente, a segunda marca do mundo, que é 1'6''4. Deve estar entre os 3 primeiros, se não for o primeiro.


Para ter acesso ao conteúdo dos 40 anos da revista VEJA, clique aqui.


Mais sobre José Sylvio Fiollo


No clube da Estrela Solitária foi José Sylvio Fiollo o mais brilhante nadador de todos os tempos. Curiosamente, este atleta estreou-se jogando Pólo Aquático em Agosto de 1967. Porém, ao findar a carreira dez anos depois, Fiollo havia obtido campeonatos em várias categorias, 29 primeiros lugares e diversos recordes.

Logo em 1967 Fiollo conquistou as medalhas de ouro dos 100 metros peito e 200 metros peito no campeonato pan-americano de Winnipeg e em 1968 estabeleceu o recorde mundial de natação dos 100 metros peito com o tempo de 1’06"4, menos três décimos de segundo do que o recorde pertencente ao soviético Vladimir Kosinsky.

retirado do blog Estrela Solitária

APRESENTAÇÃO DA SELEÇÃO BRASILEIRA DE NADO SINCRONIZADO...



No dia 28 deste mês, como finalização dos treinos para o Sul-Americano, a equipe de nado sincronizado do Brasil fará uma apresentação no Clube Paineiras do Morumby - Av. Dr. Alberto Penteado, 605 - Morumby. O dueto olímpico Nayara e Lara também se apresentarão. Uma excelente oportunidade para quem gosta do esporte ou quer conhecer o nado sincronizado.


A portaria estará aberta a todos e a entrada é franca. Leia abaixo o comunicado da Profa. Shirley - técnica da seleção brasileira.



Olá a todos!!!


Já estamos na reta final para o sulamericano e para finalizar nosso periodo de treinamento realizaremos uma apresentáçao especial de despedida e peço a colaboraçao de todos no sentido de divulgar nosso evento. Será dia 28 as 12h nas dependencias do clube paineiras do morumbi (piscina olimpica) a PORTARIA ESTARA LIBERADA A TODOS.


Conto com a presença e colaboraçao de todos.


Profa. Shirlei Montanari


Ps. O dueto olimpico ( Lara e Nayara) tb se apresentará, será um grande espetaculo!!!!

segunda-feira, 23 de março de 2009

INTER-ESCOLAR EM 1951

Hoje é dia de história da natação no blog. Aí está um vídeo de uma competição inter escolar no ano de 1951.

quarta-feira, 18 de março de 2009


CUIDADOS NA "AULA INICIAL"


Saiu no blog do Prof. Paulo Henrique Bonacella - "Bona".


Nas Academias, a situação mais comum é aquela em que os alunos de qualquer nível vão entrando e sendo promovidos ao longo de todo o ano, não havendo portanto uma chamada “aula inicial”. Os alunos novos são sempre um ou outro dentro de cada turma, e como a maioria já está entrosada com a dinâmica do trabalho, as coisas acabam dando certo por inércia
Mas há outras circunstâncias, como em cursos periódicos ou promocionais, ou ainda no fechamento de novos convênios com Escolinhas Infantis, em que a situação é um pouco diferente. Há aqui uma aula inicial, onde praticamente todos os alunos são novos, não conhecem a piscina onde nadarão ou os professores que os orientarão. Por outro lado, nós também nada sabemos sobre o comportamento, características, adaptação ou habilidades dos novatos.
Para estas aulas, há cuidados especiais (mas bem simples) que precisam ser tomados.
1. Gaste pelo menos de três a cinco minutos conversando com eles para quebrar o gelo e começar a tomar as primeiras informações relevantes para o seu trabalho: apresente-se, pergunte rapidamente o nome da cada um, pergunte quem já fez aula de Natação alguma vez, quem tem piscina em casa, quem tem piscina no prédio onde mora.
2. Faça esse “quebra-gelo” nem que seja já sentado na borda da piscina com eles, e aproveite para deixar claras algumas regras básicas de segurança, do tipo só se entra na piscina com a presença do professor, jamais empurrar os coleguinhas, só utilizar o espaço de aula determinado para isso, etc;
3. Peça para que eles entrem na piscina um de cada vez. Além de muito mais seguro do que todos pularem ao mesmo tempo, perceba que a entrada do aluno já diz muito sobre a sua adaptação ao meio líquido. Um aluno que entra na piscina saltando sem problemas é muito diferente de um que entra temerosa e lentamente;
4. “Ao menos” uma pessoa deve estar dentro d’água. Pode ser o próprio professor responsável, pode ser um estagiário, pode ser um auxiliar. A presença física de alguém na água dará aos novatos a confiança necessária para se sentirem bem no novo ambiente. Ficar fora d’água é coisa para bem mais tarde, se é que um dia isso será possível;
5. Se for um convênio, uma ou duas auxiliares da escolinha devem permanecer sentadas dentro do recinto da piscina para ficar com os relutantes que não quiserem entrar, acolher antes do término os friorentos e acompanhar quem precisar do banheiro. Professor ou mesmo estagiário da Academia NÃO DEVE ACOMPANHAR CRIANÇAS AO VESTIÁRIO OU AO BANHEIRO! NUNCA!
6. Inicie a aula sempre por um reconhecimento do espaço a ser utilizado nas aulas. Essa atividade de reconhecimento deve ser cautelosa e em ritmo moderado (cuidado com as estratégias lúdicas, principalmente com bola), pois há crianças que se empolgam mesmo sem possuir as habilidades necessárias e podem desviar-se para locais mais fundos e beber água. Esse reconhecimento bem feito é que vai dar tranqüilidade às crianças e possibilitar que elas se concentrem nas atividades em si;
7. No planejamento dessa aula, procure enriquecer o seu conteúdo motor alternando estratégias estacionárias (imersões, expirações submersas, abertura dos olhos para busca de brinquedos no chão da piscina) com atividades de deslocamento (andando, correndo, saltitando, deslizando, com propulsão de pernas e braços, etc.). Estes deslocamentos podem ser numa mesma direção para todos (de um lado ao outro da piscina), ou em todas as direções aleatoriamente, dependendo apenas do espaço que você dispuser para a aula. Aula muito parada é aula chata!
8. No encerramento da aula, elogie a todos indistintamente, diga que a aula foi ótima e que você espera todos para a próxima vez. Entenda que, para as crianças, este primeiro contato foi apenas um reconhecimento do novo ambiente e do(a) novo(a) “tio(a)” e que nada de mirabolante deve ser esperado. Se a moçadinha pequena gostar e sair com vontade de “quero mais”, aula ganha!


Para visitar o blog, clique aqui.

QUAL A PARTE MAIS IMPORTANTE DE UM NADADOR?


No último Sábado, parei o treino do infantil paa falar sobre uma coisa, antes da série forte. Fiz a seguinte pergunta: "Qual parte do corpo do nadador tem que ser a mais forte?".
Não demorou muito para vários atletas me darem a resposta: a cabeça.
Sei que já falamos muito sobre isso aqui, mas parece que temos que falar muito mais. Apesar dos nadadores utilizarem braços e pernas, é a cabeça que comanda tudo isso. Também é ela que te faz superar seus limites ou desistir numa série importante. É a cabeça que ordena seus braços irem mais rápido quando voce está perdendo a série para um outro atleta. Também é a cabeça que organiza seus músculos e dedica atenção às correções necessárias, portanto um atleta com a cabeça fraca é só um nadador, não realmente um ATLETA.
Pense nisso!
MIXIRICA

MIXIRICA

terça-feira, 17 de março de 2009

MASTERES...


Para o treinameno, em geral, as respostas são as mesmas entre nadadores de faixas etárias menores ou maiores. Os nadadores masteres podem treinar durante o mesmo tempo, com a mesma intensidade e com a mesma frequência que os atletas adultos jovens. Apesar disso, ambos os grupos exibem necessidades especiais que devem ser atendidas para que seja elevada ao máximo seu progresso durante o treinamento.

A partir de hoje, abrirei também um espaço para os nadadores masteres, falando exatamente sobre estas necessidades especiais.

Até mais.

NADADORAS MASTERES


Dentre as muitas concepções equivocadas acerca das mulheres nos esportes, as mais predominantes tem sido (1) que as mulheres não podem treinar com a mesma intensidade que os homens, (2) que o treinamento é masculinizante e (3) que as atletas do sexo feminino atingem seu potencial de desempenho entre 12 e 15 anos de idade.

Esses mitos já foram, em grande parte, descartados durante os últimos 20 a 25 anos. Há algum tempo, foi verificado que as mulheres podem tolerar o treinamento puxado em grau de igualdade com os homens e que não perdem sua feminilidade no processo. Também foi demonstrado que podem melhorar seu desempenho na fase adulta.

Embora, em geral, os programas para mulheres devam ser idênticos aos para homens, existem algumas diversidades fisiológicas que precisam ser compreendidas para que possamos planejar e avaliar de forma mais inteligente o treinamento de mulheres.

Não importa qual o grau de semelhança que deve ter o treinamento das mulheres com relação aos homens - elas tem necessidades de treinamentos especiais. As mulheres devem lidar com a menstruação, elas também apresentam maior tendência para certas deficiências nutricionais que podem alterar seu desempenho e sua saúde. Duas destas são a osteoporose e a anemia. Uma terceira, a anorexia nervosa, resulta da ingestão inadequada de calorias.

Mais adiante, colocarei maiores detalhes entre as diferenças fisiológicas entre homens e mulheres.

Até mais.

Fonte; Nadando ainda mais rápido - Ernest Maglisho

segunda-feira, 16 de março de 2009

TÉCNICA DE BORBOLETA

Coloquei dois vídeos sobre o nado de borboleta: O primeiro está em japonês, a música é meio chata, mas mostra muito bem a braçada submersa com o cotovelo alto e finalização, numa visão frontal.
O segundo, um vídeo russo, mostra legal o nado de um ângulo lateral, com uma parte em slow motion que destaca a finalização da braçada e a coordenação entre braços e pernas.
Vale a pena assistir.
Dica: veja o vídeo japonês sem som...


VOCÊ TEM UM DESSES?

Sou da opinião, que nós, técnicos e professores de natação brasileiros, estamos entre os melhores do mundo, e sabe porquê? Porque com as condições que temos aqui no Brasil, formamos atletas sensacionais, verdadeiros heróis. Temos uma criatividade fora do comum para preparar aulas e treinamentos, procurando manter ao máximo nossos alunos/atletas envolvidos e adorando praticar natação.
Porque estou dizendo tudo isso? Veja o vídeo abaixo e reponda: Você tem essa condição de material na sua academia ou clube? Acredito que não, mas tenho certeza absoluta, que os professores que gostarem do que vão ver, com certeza vão bolar um jeito "brasileiro" de produzir algo semelhante. Criatividade!


sexta-feira, 13 de março de 2009

POSIÇÃO DOS COTOVELOS NA FASE AQUÁTICA

Achei este vídeo no YOUTUBE bem interessante, que mostra o posicionamento dos cotovelos nos nados de crawl e borbo. O legal é que o técnico mostra com a atleta fora da água usando elásticos.


quinta-feira, 12 de março de 2009

SUBSTRATOS METABÓLICOS: CARBOIDRATOS, GORDURAS E PROTEÍNAS


Não se pode dizer que não existem estoques significativos de substratos a partir dos quais se pode metabolizar energia para formar o ATP. As células adiposas que formam os coxins gordurosos do corpo, são reservatórios de lipídeos. As células musculares tem depósitos de gordura locais externos e reservatórios intracelulares de lipídios. Os lipídios, ou ácidos graxos, estão disponíveis para as células como substratos combustíveis especialmente eficientes. A gordura contém quase o dobro da densidade energética por grama em comparação aos carboidratos e às proteínas. Estima-se que o estoque médio de lipídios de uma mulher sedentária, quando processados em equivalentes energéticos, ultrapasse 200.000 calorias, enquanto o do homem médio equivale a 150.000 calorias. Como uma pessoa precisa, em média de 2000 calorias por dia para o trabalho biológico celular mínimo, essa gordura armazenada pode fornecer energia por cerca de 100 dias. Mas, reiterando, uma grande quantidade de gordura não significa necessariamente que a capacidade de gerar energia de forma rápida seja igulamente grande.

Em contraposição às gorduras, entretanto os carboidratos não são armazenados em depósitos periféricos no interior do corpo. Não existem cubos ou cristais de açúcar subcutâneos que podem ser sentidos através da pele. Como os carboidratos representam um importante substrato durante o esforço, são considerados limitadores de desempenhos prolongados e práticas extensas de natação. Estudos indicam que os estoques de carboidratos no músculo ativo podem esgotar-se facilmente em uma sessão típica de natação e que a capacidade de reposição desses estoques entre as sessões pode constituir um fator crítico para o treinamento.

Um dos efeitos do treinamento intensivo de natação é a adaptação das células musculares para o uso maior de quantidade de gordura como fonte de combustível. Aparentemente, esse processo permite a substituição dos suprimentos limitados de carboidrato das células. Por causa da sua importância como combustível para o exercício, a ingestão de carboidratos é um importante parâmetro a ser monitorado em nadadores que treinam semanalmente várias vezes por dia. A importânica do metabolismo do carboidrato torna-se evidente a partir do aumento do interesse no papel da formação do ácido lático durante e após as sessões de treinos de natação. A produção de ácido lático ocorre em consequência do uso de carboidratos como fonte de combustível para gerar energia durante o esforço intenso exigido pelo nado.

O outro lado do desempenho de elite e sua compreensão é uma análise dos fatores que causam fadiga durante o treinamento e durante a competição. Ao mesmo tempo em que a fadiga é multifatorial, uma das suas causas fundamentais é a incapacidade de atender as exigências do músculo por energia. O metabolismo do carboidrato via glicólise merece uma explicação detalhada, assim como uma análise do que Brooks et al. (1996) chamam de a "mitologia do ácido lático".

Fonte: Natação - Manual de Medicina e Ciência do Esporte 9 Joel Stager & David Tanner

quarta-feira, 11 de março de 2009

QUER ESTAGIAR EM NATAÇÃO?


Preciso de um(a) estagiário(a) URGENTE para aulas de natação em Diadema. Os dias são terça e quinta-feira para o período da tarde. Interessados enviar curriculum para rogerionocentini@gmail.com.

É necessário algum conhecimento na área de natação.

ENSINANDO OS NADADORES A USAREM AS VARREDURAS


Nadadores experientes podem apresentar sérias dificuldades em utilizar suas mãos como fólios, principalmente se tiverem sido ensinados a utilizá-las como remos, no início de suas carreiras. Os nadadores em início de carreira devem ser ensinados a utilizar suas mãos como fólios, antes que formem maus hábitos. Para tal finalidade, exercícios de palmateio podem ajudar os dois grupos e podem ser encontrados em livros de nado sincronizado.

Exsitem três tipos de palmateio que são particularmente efetivos e devem ser feitos com bóias de tração ou tubos enrolados nos tornozelos. Os nadadores aprenderão os palmateios com mais velocidade se não puderem utilizar as pernas.

Palmateio de Fase Inicial

Numa posição de pronação, com os braços estendidos acima da cabeça, o nadador movimenta as mãos em hélice simultaneamente para fora e para dentro, tentando impelir seu corpo para a frente, enquanto pratica esses movimentos. Ele não deve qualquer dificuldade com esse exercício, dependendo de pouquíssima prática para sua execução. Deve ser enfatizada uma ligeira extensão dso braços em seu trajeto para fora e uma pequena flexão no trajeto para dentro. O movimento é praticado num padrão contínuo em figura de oito, com os braços para fora e para trás, até um aposição de agarre e, em seguida para denro e para a frente para dar início a outro ciclo.

As palmas das mãos do nadador ficam voltadas para baixo quando começa o movimento de palmateio para fora. Elas fazem rotação para fora durante o palmateio para fora e, em seguida para dentro durante o palmateio para dentro. As pontas dos dedos são os bordos de ataque das mãos durante o palmateio para dentro. Alerte os nadadores para que não pressionem demais para trás durante esses movimentos. Eles assim procederão se a natureza contínua da figura de oito do palmateio não for enfatizada. A finalidade deste exercício consiste em ensinar os nadadores a fazer o agarre adequadamente, antes de começada a fase de varredura para dentro. Uma variação do exercício pode ser o palmateio para dentro com as mãos até que elas se cruzem ao nível dos pulsos.

nota do blog: cuidado para a braçada não se tornar uma braçada de peito, com uma flexão acentuada dos cotovelos na fase para dentro da braçada.

Exercício de palmateio de fase intermediária.

A finalidade deste exercício consiste em ensinar os nadadores a fazer a varredura para dentro nos nados crawl, borboleta e peito.

Também aqui, a nadadora está com a face voltada para baixo. Dessa vez, seus braços estão abaixo de seus ombros, com seus cotovelos voltados para fora, para os lados. Suas mãos movem-se para dentro e para fora diretamente sob seus ombros. Ela estende seus braços durante a varredura para fora e os flexiona durante a varredura para dentro. Suas palmas fazem rotação para fora durante a varredura para fora e para dentro durante a varredura para dentro. Seus braços unum-se ou chegam a atrvessar-se por baixo de seu peito durante o palmateio para dentro. Eles não devem ficar completamente estendidos durante o palmateio para fora. Os lados do dedo mínimo das mãos são os bordos de ataque durante o palmateio para fora e os do polegar são os bordos de ataque durante o palmateio para dentro. O palmateio para dentro é parte que se relaciona com a natação competiviva e, assim, os atletas devem enfatizar a propulsão a partir do palmateio para dentro, adicionando algum movimento para trás a esse palmateio. O palmateio para fora deve incluir algum movimento para a frente, para que as mãos retornem a uma posição para o próximo palmateio para dentro.

Exercício de palmateio para a fase de finalização

Esse exercício é excelente para ensinar a varredura para cima aos nadadores. A partir de uma posição de pronação, os braços do nadador estão para trás, sob sua cintura, e flexionados ao nível dos cotovelos. Seus pulsos estão alinhados com seus antebraços de modo que ambos estão voltados para dentro. Dessa posição ele move suas mãos para fora e para trás e, em seguida para dentro e para a frente em movimentos alternados. Seus braços estendem-se ligeiramente durante o palmateio para fora e flexionam-se ligeiramente durante o palmateio para dentro. Entretanto, eles não devem ser estendidos completamente, ou não ficarão adequadamente orientados. Suas palmas das mãos fazem rotação para fora durante o palmateio para fora e fazem para dentro durante o palmateio para dentro. Os lados do dedo mínimo das mãos do nadador são os bordos de ataque durante o palmateio para fora e os do polegar são os bordos de ataque durante o palmateio para dentro. Os nadadores devem enfatizar o movimento de palmateio para fora porque é semelhante às varreduras propulsivas para cima dos nados crawl e borboleta.

O professor verificará que se pode ensinar aos nadadores as braçadas dos estilos de competição com bastante rapidez, desde que eles tenham dominado estes exercícios.


Fonte: Nadando ainda mais rápido - Ernest Maglisho

56 ATITUDES PARA FORTALECER SUA CARREIRA ( 21 a 25)


RESPIRE FUNDO

Sabe aquela promoção que o chefe havia prometido? E aquela bolsa para o MBA? Não se surpreenda se planos desse tipo forem congelados. AS empresas estão cortando investimentos novos. "É preciso estar preparado para frustrações, porque elas vão ocorrer com frequencia", diz Patricia Molino, da KPMG. Encare possíveis adiantamentos como alg temporário e baixe as expectativas. Assim, diminuem as chances de você se desmotivar.




AGUENTE O TRANCO


A sobrecarga de trabalho é uma das principais reclamações de profissionais e uma fonte permanente de conflitos no trabalho. Neste ano com demissões e equipes enxutas, a coisa tende a piorar. Para dar conta de tudo, fique atento às prioridades. "Se tentar atender todas as demandas, voce não fará nenhuma bem feita", dis Jos´Augusto Minarelli, presidente da consultoria Lens & Minarelli Associados de São Paulo. Portanto, organize-se:


-liste tarefas e solicitações


- separe o importante do urgente


- comunique os envolvidos


- se um deles chiar - mesmo que seja o chefe - , mostre seus critérios de priorização e a importância disso para o bem desempenho do trabalho.







NÃO PISE NA BOLA



Cuide da sua reputação, pois você continuará com ela quando as coisas se normalizarem. Não seja oportunista em negociações, por exemplo. Não confunda disposição para superar a adversidade com uma carga excessiva de agressividade nos relacionamentos. Em outras palavras, não pise na bola.










DESCARTE A RÁDIO-PEÃO




Na crise, a fofoca aumenta. Esse é um sério risco à sua produtividade.Tome muito cuidado para não se enrolar com a boataria. Se o assunto for sobre a empresa, a melhor solução é esclarecer com o chefe. Como isso nem sempre é possível, observe o ambiente atentamentee tire suas próprias conclusões. Repercutir fofocas, nem pensar.Além de ser perda de tempo, faz mal à sua imagem. "Aos fofoqueiros não é confiada a liderança de grupos ou participações em projetos estratégicos" diz Patricia Molino, da KPMG.













PÉ NO ACELERADOR





Aumente o empenho com que realiza suas tarefas. A pressão por resultados é uma realidade no mundo corporativo, mas em momentos como este, com algumas equipes reduzidas, financiamentos mais demorados e regras mais rígidas - , para atingir o mesmo resultado às vezes é preciso de uma dose extra de sacrifício. Encare como uma fase e tenha claro aonde quer chegar (uma promoção, reconhecimento, aprendizado). Assim fica mais fácil aguentar as dificuldades.










Fonte; revista VOCE S.A - fevereiro/ 2009

terça-feira, 10 de março de 2009

A HISTÓRIA DAS MULHERES NA NATAÇÃO.

Este vídeo do International Swimming Hall of Fame é muito interessante. Ele faz um apanhado geral da história das mulheres na natação e, principalmente sobre a evolução dos trajes. Está em inglês (não entendi nada...), mas mesmo assim, dá prá se ter uma base legal da história.

Este vídeo prova que a moda, realmente dá voltas e voltas.....

Fonte: www.youtube.com

CUIDADO COM O ALONGAMENTO!

Essa quem me mandou foi meu amigo, Prof. Guilherme Giorgi. Sensacional!

video

segunda-feira, 9 de março de 2009

TREINAMENTO EM NATAÇÃO

Venha treinar natação com o Prof. Rogerio Mixirica Nocentini. - Treinamento para triathlon ou maratonas aquáticas; - Aperfeiçoamento das técnicas dos estilos; - Condicionamento físico.
Informações: rogerionocentini@gmail.com ou 9345-0639.

sexta-feira, 6 de março de 2009

56 ATITUDES PARA FORTALECER A SUA CARREIRA (16 a 20)

Fonte: REVISTA VOCÊ S.A. - fevereiro/2009


DISCORDE, SEM BATER BOCA

Cinco passos para argumentar sem transformar a sala de reuniões num ringue:

1 - Amarre e relacione suas idéias às metas da empresa

2 - Ofereça sugestõesm em vez de apenas levantar problemas

3 - Mostre como sua idéia contribui para evitar danos ou superar riscos

4 - Apresente mais de uma opção

5 - Considere as preocupações e medos do interlocutor.




PRATIQUE A AUTOMOTIVAÇÃO


Alguns artifícios podem manter a sua motivação em alta:


- Converse com muita gente - a troca de experiências vai ajudá-lo a perceber que as incertezas da crise afetam os outros. É, o problema não é só seu.


- Busque o simples - Retome aquelas pequenas coisas, que por vezes, ficam de lado, mas que melhoram (e muito!) o astral fora do trabalho. Por exemplo, ir à academia.


- Estabeleça pequenas metas - Combine com seu chefe metas informais intermediárias. Cumpri-las vai lhe dar forças para buscar o objetivo principal.







EXERCITE O BOM HUMOR



53% dos profissionais brasileiros de 30 a 39 anos dizem que preferem trabalhar em ambientes divertidos.



Veja como agradar o chefe sem escorregar na falta de ética:



- Nada de piadas racistas ou apelativas



- Tenha claramente quais brincadeiras são aceitáveis



- Se suas tiradas não fazem sucesso, não force a barra



- Não confunda humor com palhaçada



- Saiba a hora certa de parar










MEÇA AS PALAVRAS




Durante a crise é preciso ter mais sensibilidade para dar opiniões. Você pode ter um estilo pessoal, mas tente variar o jeito de falar conforme o interlocutor. Por exemplo, você acha que um comentário crítico vai colaborar com o trabalho de sua equipe? Antes de fazê-lo, verifique se, no lugar de ajudar, você não criará um transtorno maior. Resumindo: calcule bem os efeitos do que você diz.













"TINHA MEDO DE DECEPCIONAR DOIS CHEFES"





Em seu primeiro dia de trabalho na fabricante de celulares Sony Ericsson, Beni Harari, 27 anos, gerente nacional de trade marketing, descobriu que teria duas chefes: uma no Brasil e outra nos Estados Unidos, seguindo a estrutura gerencial da empresa. "Fiquei com medo de me complicar com ordens cruzadas", lembra.





ATITUDE: Beni traçou metas semestrais, que revisa periodicamente com as duas chefes. "Assim, sei que estou no caminho certo", diz. Quando uma tarefa extra aparece, discuto os impactos no meu trabalho com as duas.

quinta-feira, 5 de março de 2009

SUBSTRATOS METABÓLICOS: OS FOSFAGÊNIOS


No interior da célula, antes da demanda energética, não há como antecipaar o ATP para o trabalho fisiológico subsequente. É preciso que haja um sistema de produção de energia que reaja rapidamente à demanda impostaàs células como consequencia do trablho realizado. O aumento do uso determina a elevação da produção energética. O aumento da exaustão celular, em outras palavras, é um sinal para o crescimento do fluxo de substratos nas várias vias e para a aceleração do processo de geração de energia de modo a atender o aumento da demanda. Essa explosão inicial de energia é sustentada pelas fontes imediatas no interior das células: ATP e fosfocreatina (PC).

ATP

O ATP existe no organismo em quantidades limitadas , já que as células não dispõem de lugares para "estocar energia".

A transformação de ATP em ADP e fosfato inorgânico (Pi) é suficiente para fornecer o impulso inicial que sinaliza a aceleração do consumo e, consequentemente, a produção de energia. Porém, as fontes de energia para uso imediato conseguem produzir "combustível" apenas para alguns segundos de esforço intenso, embora a produção de potência seja muito superior à da glicólise e à das vias aeróbias.

FOSFOCREATINA

A fosfocreatina (PC) é outra fonte de fosfagênio disponível para uso imediato cujas concentrações também são limitadas.

O mecanismo metabólico das células que realizam muitos trabalhos fisiológicos permite a rápida reciclagem de ADP, transformando-o em ATP. Acelerar a velocidade do nado, então, é uma função apenas parcial de um grande tanque de combustível repleto de ATP.

Uma conclusão importante deste conhecimento é que, no final das contas, a ingestão de ATP para melhorar o desempenho é totalmente inútil, já que o organismo não tem condições de armazenar esta quantia adicional.

Os motivos para os suplementos com ATP não serem eficientes, é porque o ATP ingerido precisaria (1) ser absorvido pelo intestino, (2) permanecer inlaterado aos ataques dos ácidos e enzimas do estômago, (3) ser transportado para um local metabolicamente ativo via sistema vascular, (4) ser difundido no local metabolicamente ativo e (5) estar disponível em enorme quantidade. Alguns goles de ATP em um frasco plástico representam uma quantidade bastante insuficiente para um nadador antes da competição.

quarta-feira, 4 de março de 2009

A IMPORTÂNCIA DO COTOVELO ELEVADO NOS NADOS PEITO E BORBOLETA


Nos nados de borboleta e peito, o nadador deve atingir uma posição de cotovelo elevado pelo movimento das mãos para fora e para baixo. Visto que os nadadores não podem rolar lateralmente seus corpos nesses estilos, suas mãos devem deslocar-se para fora de seus ombros, antes que possam orientar seus braços para trás contra a água.

Porque o cotovelo caído é tão prevalente entre os nadadores mais lentos? Muitos treinadores acreditam que o cotovelo caído é decorrente da falta de força. Duvido da validade desta observação. É mais provável que o cotovelo caído ocorra porque esses nadadores tentam empurrar seus braços para trás cedo demais nas suas braçadas submersas. Possivelmente eles deixam cair seus cotovelos durante a varredura para baixo dos nados crawl e de costas e durante a varredura para fora nos nados de borboleta e de peito.

Obs: já falei no blog sobre as varreduras para dentro, para fora, para cima e para baixo.

Os nadadores devem ser orientados a esperar até que essas fases das braçadas tenham-se completado antes de começar com a aplicação de força.

Os nadadores mais rápidos não deixam seus cotovelos caírem porque não tenatam aplicar força até que tenham atingido a posição de agarre. Eles aprenderam, seja por orientação, seja por intuição, a esperar qté que seus braços estejam bastante profundos, ou bastante abertos, para buscar uma orientação para trás em relação à água.

Quando eles tema apaciência de esperar para que isso ocorra, seus cotovelos ficam acima de suas mãos, de forma que conseguem a posição de cotovelo elevado.
Fonte; Nadando ainda mais rápido - Ernest Maglisho

terça-feira, 3 de março de 2009

56 ATITUDES PARA FORTALECER SUA CARREIRA (11 a 15)


INSISTA SEM SER CHATO

Quando as pessoas estão na defensiva, a primeira reação é rejeitar propostas novas. Portanto, prepare-se para ouvir muitos "nãos". Para conseguir o que deseja, seja insistente. Tenha tato para saber a hora e a maneira certas de retomar o o assunto sem ser chato.




SEJA PARTE DA SOLUÇÃO, NÃO DO PROBLEMA


A ordem é cortar gastos. Bater na tecla de que não há despesas que não possam ser reduzidas não vai adiantar. Ao fazer isso, você vai parecer do contra e passará a idéia de que não está alinhado com os planos da empresa. É preciso fazer parte da solução e se mostrar disposto a ajudar no que for preciso", diz Patrica Molino, sócia-lider da KPMG, consultoria em gestão de RH.










PEGUE LEVE COM O CHEFE



Boa parte dos resultados ruins decorre da flata de clareza na delegação de tarefas. Os chefes não são claros mesmo. às vezes, eles também não entendem direito o que quer o chefe deles. A falta de clareza faz parte do processo. Por isso, pergunte, tire dúvidas, desconfie. Isso evitará conflitos de trabalho.










PERGUNTE-SE COMO




Questione no dia-a-dia de sua área como economizar. Como reduzir o desperdício de papel? Dá para adiar investimentos, como? Com que fornecedores posso renegociar valores? E pense em alternativas.













NÃO SE PRECIPITE





Sob pressão, as pessoas tendem a agir pior do que em condições normais. Isso vale para chefes e colegas. Evite fazer julgamentos precipitados. Avalie as diferenças na forma como uma pessoa se relaciona com chefes e subordinados - principalmente se ela trata esses últimos com respeito. Quando a poeira baixar, você vai saber separar alhos de bugalhos.










Até mais.





Fonte: REVISTA VOCÊ S.A. - fevereiro 2009





segunda-feira, 2 de março de 2009

PEDIDO DE AJUDA!


Hoje faz 5 dias que lancei um pedido de ajuda aqui no blog. Sabe quantos e-mails eu recebi? Nenhum. Depois querem que nossa profissão seja valorizada e que sejamos uma classe unida e forte, balela. O engraçado é que pedir ajuda todo mundo sabe, mas colaborar com quem pede, isso é um pouco mais difícil. Desculpem o desabafo!

FINAL DOS 100 LIVRES EM BARCELONA'92

No nosso dia de história, trago a final dos 100 livres na Olimpíada de Barcelona'92. Na disputa, Matt Biondi, Poppov e Jon Olsen.

A IMPORTÂNCIA DO COTOVELO ELEVADO NO NADO CRAWL

Fonte: Nadando ainda mais rápido - Ernest Maglisho
Doc. Coulsimann foi o primeiro a mostra-nos a impportância da posição do cotovelo elevado em seu livro The Science os Swimming (1968). Naquela época se acredita que os nadadores utilizavam o cotovelo elevado para colocar seus braços numa posição de empurrar a água para trás. Agora sabemos que um cotovelo elevado permite que os braços e as mãos desloquem água para trás com maior eficiência, enquanto os nadadores "remam" com essas partes nas direções lateral e vertical. A posição do cotovelo elevado é importante para o nado veloz, porque até que o braço esteja voltado para trás, o nadador não poderá deslocar a água com eficácia.

Talvez o erro mais comum na natação consista em começar a fase propulsiva da braçada antes que tenha sido assegurada uma posição de cotovelo elevado. Se o cotovelo não está acima do braço ao ser feito o agarre, a água será empurrada para baixo e não para trás.

Com o cotovelo para baixo, a parte inferior do antebraço do nadador está numa orientação praticamente perpendicular à direção de seu deslocamento., fazendo com que empurre água para baixo e não para trás. Equivocamdamente, esse nadador acredita que está empurrando água para trás porque seu pulso está flexionado e sua mão está voltada para trás.


Até mais.