sexta-feira, 29 de agosto de 2008

DA SÉRIE: COISAS RIDÍCULAS QUE PODEMOS FAZER PERTO DA ÁGUA...

Bem pessoal, outro sábado (tudo bem que estou escrevendo na sexta à noite, mas...) continuando a série "coisas ridículas que podemos fazer perto da água", mais um sensacional vídeo de caras que absolutamente não têm o que fazer....

Bom final de semana a todos!

PROBLEMAS TÉCNICOS...

Peço desculpas pela irregularidade dos posts esta semana, prometo que semana que vem, os problemas serão solucionados.
Abraços

EDUCATIVOS PARA BRAÇADA DE BORBOLETA...

1 - Executar somente o braço direito
2 - Executar somente o braço esquerdo
3 - Fazer seqüências de braçadas alternando braço direito, braço esquerdo e completo ( pode ser 1x1x1 ou 2x2x2 ou 3x3x3 ou 1x1x2 ou 2x2x3....)
Nestes exercícios de braço, é muito importante que a execução seja feita de forma correta, ou seja, com os braços estendidos, com as mãos bem próximas à água e com muita aceleração na braçada quando submersa.
4 - Somente fase aquática - executar a braçada de borboleta e recuperar por baixo da água e não por cima.
5 - Nadar o borboleta com perna de crawl, se concentrando ao máximo na braçada, sem se preocupar com ondulação.
Não temos muitos educativos específicos para braçada de borbo, mas estes aqui, usados com muita variação são suficientes. Queria colocar um vídeo de educativos, mas meu computador está quebrado e aqui onde estou o "youtube" é bloqueado, então farei isto em outra oportunidade.
Até mais.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

DESCRIÇÃO DA TÉCNICA: BRAÇADA DE BORBOLETA


Bom pessoal, hoje é dia de falar do estilo que mais gosto, até porque era meu estilo quando atleta: o borboleta.

Técnicamente, o borboleta não é tão complicado, a dificuldade do nado está na força que necessita para ser executado.

A braçada se assemelha muito à do nado crawl, principalmente na parte submersa, porém com os braços se movendo de forma simultânea.

Depois da fase aérea (recuperação), que deve ser feita com os braços bem rente à água e com uma ligeira flexão nos cotovelos, as mãos devem entrar na água com as palmas voltadas para fora, na largura do ombro.

Há alguns anos, dava-se o exemplo de uma fechadura ou de um ponto de interrogação ou de um "s" para descrever o movimento da braçada, hoje em dia os braços não se afastam tanto, porém ainda há uma abertura na braçada.

Após entrar na água, as mãos descrevem um pequeno arco para fora, em seguida, se posicionam para a posição de agarre. Neste momento, os cotovelos se flexionam para atingir o ponto de máxima força e iniciam o movimento para dentro da braçada, é aonde os dedos mínimos quase se junto abaixo do abdomem (bem visível no vídeo abaixo).

Aqui, vem o ponto onde se troca o movimento de "puxada" para o movimento de "empurrada" (já falei sobre isso no post sobre braçada de crawl). Neste momento, deve-se acelerar ao máximo a braçada e finalizar o movimento com as mãos junto à coxa, porém sem cessar o movimento neste ponto, pois as mãos devem sair da água com velocidade para facilitar a recuperação (fase aérea) do nado.

O segredo do nado borboleta é muita força e coordenação com as pernas, mas esta parte falarei em outro post.

Abaixo, um vídeo que mostra bem a braçada de borboleta por baixa da água e um esquema que mostra o nado completo


Até mais.

MIXIRICA

MAIS UMA COMEMORAÇÃO!


Mais uma comemoração esta semana pessoal, acabamos de ultrapassar a marca dos 1000 visitantes. Como antes, agradeço a todos e espero que continuem comigo nesta jornada, além é claro, de não se esquecerem de divulgar o blog para os amigos e também para os inimigos.

Abraço a todos.


MIXIRICA

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

VIRTUAL SWIM......




Esta dica é de um atleta meu, André Pacheco - campeão brasileiro de 100 borboleta e 200 medley - além de outros títulos.
É um site que mostra, através de um simulador, todos os movimentos de todos os nados em vários ângulos. Muito legal para mostrar aos atletas, aos alunos e aos interessados em melhorar seus estilos, todos os detalhes dos 4 nados.

Para ir ao site, clique aqui


domingo, 24 de agosto de 2008

AS OLIMPÍADAS ACABARAM...

Uma homenagem ao final das Olimpíadas, com este desenho do artista Bruno Bozzetto, divirtam-se.

2000 ACESSOS!!!!!!


Pois é pessoal, neste Sábado, este blog, com apenas 80 dias de vida, completou a marca de 2000 acessos!
Para mim, que nunca pensei que alguém, além de mim, fosse ler este blog, é sensacional. Agradeço a todos pela colaboração, interesse, paciência e espero que este veículo continue contribuindo de alguma forma para a natação deste país.
Um grande abraço,

Prof. Rogerio "Mixirica" Nocentini

sábado, 23 de agosto de 2008

COISAS RIDÍCULAS QUE PODEMOS FAZER PERTO DA ÁGUA...

Hoje é Sábado, então, para descontrair, vou começar uma série de vídeos de coisas ridículas que podemos fazer perto da água. Vejam as figuras!

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

MATÉRIA NA FOLHA EQUILÍBRIO


Na "Folha Equilíbrio" do Jornal Folha de São Paulo, saiu uma matéria muito interessante sobre nadar corretamente. Com depoimentos do Prof. William Urizzi de Lima - técnico da seleção brasileira de natação e William Morales - preparador físico da seleção de polo aquático, a matéria lança um alarme para os praticantes deste esporte que o fazem por conta própria e de forma errada. Muito interessante para ler e mostrar aos nossos alunos.
Para ver a matéria completa, clique aqui

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

EDUCATIVOS PARA O NADO SUBMERSO.

Que o nado submerso é importante, todos sabemos, mas como trabalhá-lo? Não é simplesmente dar séries de perna de borboleta e tudo bem, porque o nado submerso requer algo a mais. Primeiro, requer que o aluno/atleta realmente ache que isso é importante para ele e decida fazê-lo e, em segundo lugar, requer muita força de vontade, porque é muito difícil implantar o nado submerso junto com as séries de nado dos treinos ou aulas.
Algumas formas de se iniciar a implementação do submerso são:

1 - começar com séries de 25 metros, exigindo um número mínimo de golfinhadas - ex.: 20x25 crawl com 5 ondulações submersas

2 - Subir a série para 50 metros, depois intercalar 25 e 50 metros, 50 e 100 metros e aí por diante.

3 - séries de ondulação submersa com nadadeiras (pés-de-pato)

4 - séries com snorkel - para se manter a posição de "streamline"

5 - ou brincadeiras:
Outro dia, no treino do mirim, dei o seguinte exercício: cada atleta pegava um peso, destes que se usam em cintos de lastro (mas pode ser qualquer coisa que afunde). Este era o carrinho deles. Os alunos só podiam mexer o "carrinho" por cima das linhas do fundo da piscina e não podiam tirar o "carrinho" do chão, quando faltasse ar, tinham que subir deixando o peso onde tinha parado, pegar ar e voltar para o "carrinho". O deslocamento do peso só poderia ser feito com pernada de borboleta.
Foi um exercício lúdico, que trabalhou apnéia e ondulação submersa, além de divertir as crianças. Foi muito legal!

Para finalizar, um vídeo do mestre do submerso Michael Phelps na sua quebra do recorde do mundo dos 200 borboleta em Melbourne 2007. Este vídeo é bacan porque mostra as viradas por baixo da água, exibindo claramente a força do nado submerso na prova.


Até mais.

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

RESPIRAR É PRECISO!


Falamos muito aqui sobre técnica de nado, braços e pernas e pouco sobre uma coisa mais fundamental do que tudo isso, respirar!
Os exercícios de respiração na natação são tão fundamentais quanto em qualquer outro momento da vida, mas não são tratados com a mesma importância.
Abaixo, um vídeo com alguns educativos onde o objetivo principal é a respiração. O vídeo tem aproximadamente 5 minutos, mas vale a pena assistir e aplicar.
Até mais.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

EDUCATIVOS PARA A BRAÇADA DE COSTAS...



1 - Vai e volta - iniciar com os dois braços ao lado do corpo, executar a braçada com um braço até chegar aos 90º e voltar; executar o outro braço.
Variações:
a. fazer o movimento até 90º, girar o braço até a palma da mão ficar para o lado de fora, voltar a palma para dentro e voltar o braço.
b. fazer o movimento anterior, continuar com a braçada até o dedinho tocar a água e voltar a té a coxa;
c. executar o exercício anterior e completar a braçada.

2 - pegada dupla 90º - com os dois braços a 90º em relação à água, executar o nado com pegada dupla, trocando o braço em cima, após fazer o gitro da mão;

3 - 2 braçãdas com o direito, duas com o esquerdo, com a mão parando junto à coxa.
variações:
a. 3 com o direito, 3 com o esquerdo; 2 com o direiot, 2 com o esquerdo e 2 completos, etc...

4 - paradinha com 3 - executar 3 braçadas completas e parar o nado, fazendo 8 pernadas, depois executar mais 3 braçadas e mais 8 pernadas (bom para rolamento de quadril).
Variações:
a. paradinha com 5, 7, 9, etc...

5 - humano - nadar o costas, fazendo a recuperação com os braços flexionados, raspando o corpo e sempre dentro da água ( bom para consciência do caminho do braço para a posição inicial de agarre)

6 - braço/ombro - nadar fazendo: braçada direita, ombro esquerdo, ombro direito, braçada esquerda.

7 - 1 mão aberta e outra fechada e troca (para sensibilidade da força das mãos)

8 - 3 braçadas de crawl, 3 braçadas de costas (para auxiliar na virada)

Todos os exercícios podem ser feitos com ou sem pés-de-pato, dependendo do nível do aluno e do objetivo do professor. O uso do pé-de-pato (ou nadadeira), facilita a execução dos educativos pois melhora o trabalho de pernas, porém também é muito bom fazer os exercícios sem este auxílio, exatamente para melhorar o trabalho de pernas.
O vídeo abaixo mostra alguns educativos e formas de execução.


Até mais.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

DESCRIÇÃO DA TÉCNICA - NADO COSTAS


Hoje vou falar da braçada do nado de costas. A fase da puxada se inicia quando a mão entra na água, com o braço totalmente estendido, com a palma da mão voltada para trás e com a mão entrando na linha do prolongamento do ombro. É muito comum que o aluno entre com a mão mais para dentro ou mais para fora desta linha, isto faz com que ao se aplicar a força na água, o quadril se movimente de forma errada, deixando o nado sinuoso, ao invés de rolamento teremos o quadril "dançando" de um lado para outro.
Quando a mão entra na água, deve-se afundá-la um pouco para se dar início à fase de propulsão do nado. Neste momento, o cotovelo se flexiona ligeiramente, colocando a palma da mão na posição de agarre.
Este movimento do cotovelo é muito natural portanto, em níveis iniciais de aula e em atletas jovens, não há a necessidade de se ensinar ou cobrar a "alavanca" pois, com o decorrer do tempo, este movimento sai naturalmente. Caso isso não aconteça, cabe uma ligeira correção.
No costas, encontramos o mesmo problema do crawl, um movimento de puxada, de repente se torna um movimento de empurrada e, neste momento há uma grande perda na potência, fato que deve ser minimizado com o treinamento.
Quando o cotovelo chega ao ponto máximo de flexão (90º), começa o movimento de empurrada que deve ser o mais forte e acelerado possível, terminando com a mão junto à coxa.
Novamente aqui, temos outro ponto de grande erro dos nadadores, que terminam a empurrada com a mão muito afastada da coxa, diminuindo a força da braçada no nado costas. É importante que os nadadores finalizem a mão junto à coxa, com o dedo mínimo voltado para cima, pronto para iniciar a fase de recuperação do nado.
No vídeo abaixo podemos ver alguns toques sobre o nado de costas.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

TREINAMENTO DE APNÉIA DIFERENTE...

Quando falo de atividades diferentes nas aulas de natação, não falo só de coisas que melhorem os estilos. Abaixo vai um excelente exemplo de treino de apnéia, que além de tudo é divertido e, creiam em mim, cansa prá caramba.Nunca dei em forma de rugby, como no vídeo abaixo, mas já fiz futebol, usando uma bola com água e areia dentro e também hóckei com vassouras. Variações não faltam, basta colocar a criatividade para trabalhar!Até mais.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

COMBINANDO NADOS




Alex PussieldiPublicado em 01/05/2002



Como é combinar estilos? Os educativos de combinação de estilos desenvolvem no atleta a capacidade de assimilação de técnica e desenvoltura na água. Inicialmente, os exercícios de combinação de estilo podem parecer estranhos e até difíceis de serem executados, mas a combinação é divertida e oferece aos nadadores de todos os niveis uma boa oportunidade de desenvolvimento de sensibilidade dos movimentos.
Tais tipos de exercicios não podem ser aplicados com muita freqüência, especialmente porque podem vir a criar vícios nos nadadores já que a técnica aqui utilizada não será especificamente a técnica do nado propriamente dito.


Crawl1) Executar braçada de crawl com pernada de peito. 2) Executar braçada de crawl com pernada de borboleta


Costas1) Executar bracçda de costas com pernada de peito 2) Executar braçada de costas com pernada de borboleta


Peito1) Executar braçada de peito com pernada de crawl 2) Executar braçada de peito com pernada de borboleta


Borboleta1) Executar braçada de borboleta com pernada de crawl 2) Executar braçada de borboleta com pernada de peito


Lembre-se:



Exercícios educativos são para o desenvolvimento de técnica, não para a melhora de velocidade, assim faça os exercícios de forma lenta e gradual. A variação no seu trabalho vai atuar diretamente na motivação do seu atleta/aluno. Crie outras formas de educativos e aplique a seus nadadores.
Boa sorte!
Coach Alex Pussieldi Head Age Group Coach FLST - Fort Lauderdale FL USA

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Eamon Sullivan e a Técnica do “Braço Reto”

Todos que já leram este blog, sabem que sou defensor ferrenho da técnica de nado crawl com os braços estendidos, então, coloca aqui um bom artigo do Prof. Otavio Graná (Tatá), que está no excelente blog do Clube Paineiras do Morumby - www.paineirasnatacao.blogspot.com.

Eamon Sullivan e a Técnica do “Braço Reto”

Não é novidade para ninguém que temos no Paineiras a filosofia de nadar o estilo livre com os braços estendidos nas categorias menores. Trata-se de um processo pedagógico que tem se mostrado muito eficiente, pois o aprendizado dessa técnica é absorvido pelos nadadores com mais facilidade. Além disso, o sistema cognitivo de nossos jovens atletas absorve um fator técnico de suma importância: nadar grande. A entrada da mão na água se dá no ponto mais a frente possível do corpo, e a saída da mesma, ocorre no ponto mais atrás possível, gerando uma boa finalização. Com o avanço das categorias os nadadores então, dependendo de sua individualidade, vão modificando seu nado para o de "braço dobrado", porém tendo que manter o nado "grande". Cabe a ressalva de que essa técnica, assim como outras, só será eficiente ao nadador esforçado, que busca a cada treino melhorar sua aplicação de força na água e principalmente a aceleração da fase aquática de sua braçada.
Cada vez mais, temos visto nadadores de alto nível aplicando a técnica do “braço reto”.
Há alguns anos atrás, o então nadador australiano Michael Klin, se deparava com um problema em sua carreira: não vinha melhorando significativamente seus tempos nas provas do estilo livre. Foi aí que seu treinador, o russo Gennady, mudou a técnica de nado de Klin, fazendo-o nadar com a recuperação dos braços de maneira estendida. O resultado veio pouco tempo depois: Michael Klin quebrara o recorde mundial dos 100m livre.
Em anos mais longínquos ainda, a norte-americana Janet Evans quebrara o recorde mundial dos 800m livre nadando por toda a prova com braços estendidos. Recorde este que foi um dos que mais perdurou na história da natação feminina.
Nesta olimpíada, não está sendo diferente: vimos a nadadora norte-americana Natalie Coughlin aplicar a mesma técnica para finalizar suas provas de medley. Segundo sua treinadora, esta técnica faz com que a mesma nade de maneira mais econômica, ou seja, com menor gasto energético para o deslocamento, gerando assim mais eficiência de nado.
Ainda nesta olimpíada, há vários outros exemplos, mas destacamos o australiano Eamon Sullivan, que por duas vezes bateu o recorde mundial dos 100m livre: primeiro abrindo o revezamento 4x100m livre com 47”24, e depois nas semi-finais de terça, onde marcou o tempo inimaginável de 47”05. Sullivan nada com braço reto e na minha opinião, talvez na de todos, sagrar-se-á campeão olímpico desta prova. Veremos hoje pela noite. De qualquer maneira é mais uma prova da eficiência desta técnica de nado e como pode-se perceber, tanto em provas curtas como longas.

Para ver o artigo, clique aqui.

Comentário....


Com certeza são as Olimpíadas da Natação. As provas estão sensacionais, as disputas maravilhosas e a evolução deste esporte nos últimos 4 anos foi surpreendente. Tenho certeza que muita gente que achava chato assistir competição de natação, pode ter mudado de idéia. Bom para o esporte, bom para nós professores.

UM EDUCATIVO PARA CADA ESTILO

Hoje, novamente com a colaboração do Coach Alex Pussieldi, vou colocar um educativo de cada estilo.

Educativos - Parte 1
Alex Pussieldi
Publicado em 01/01/2002 - site www.bestswimming.com.br

CRAWL
Educativo: Crawl ao contrário
Ficar na posição de crawl entretanto com a cabeça voltada para a borda e as pernas estiradas para trás. Manter as pernas sem bater totalmente esticadas e iniciar os movimentos aéreos de recuperação de braçada de crawl ao contrário. Na entrada da mão na água executar a puxada (na verdade o empurrão) com as costas da mão. Manter o corpo estirado o máximo possível. O exercício requer um pouco de paciência até desenvolver a técnica que na verdade é um nado de costas de cabeça para baixo. A respiração aqui pode ser feita tanto levantando a cabeça para a frente como para o lado. O educativo é divertido e muito bem aceito por atletas de todos os níveis.
COSTAS
Educativo: 7 / 3 / 7
Particularmente um dos meus favoritos educativos. Educativo que faz o atleta compreender e executar o nado com grande execução na rotação do quadril. O atleta começa totalmente de lado com a cabeça para cima, um braço estendido para trás e outro ao lado do corpo. Com o corpo de lado executar 7 pernadas (é muito importante ter a cabeça voltada direto para cima), dar 3 braçadas e parar o corpo para o outro lado, um braço atrás da cabeça e o outro do lado do corpo, mais 7 pernadas, e repetir tudo outra vez.
O educativo faz com que o atleta exagere na rotação do quadril combinando com o giro de um lado para o outro quando executará as 7 pernadas.
O mesmo educativo também pode ser utilizado para crawl apenas variando a posição da cabeça, ou seja, ao invés de ser para cima, colocá-la voltada para baixo.
PEITO
Educativo: Nado submerso
Educativo que trabalha a sensibilidade e principalmente a percepção técnica do atleta na execução do nado de peito. Executar o nado de peito normal mas totalmente submerso. Não é simplesmente movimentar os braços e as pernas, mas o nado de peito normal, com um deslize ao final da braçada a frente assim como a subida e a descida do corpo n’água mas no fundo da piscina. O educativo faz o atleta descobrir o quanto é importante diminuir a resistência frontal.
Como variantes, você pode executar o mesmo educativo de forma submersa mas com o corpo totalmente de lado, variando de lado ao final de cada piscina executada. Esta variação é de maior dificuldade de execução e requer habilidade do atleta para manter o mesmo movimento para ambos os lados.
BORBOLETA
Educativo: Biondi Drill
Este era o educativo favorito de Matt Biondi, nadador americano, campeão olímpico de 1988. O movimento começa com o corpo totalmente estendido à frente, os dois braços esticados e executando apenas a pernada de borboleta. O atleta após executar de 2 a 4 pernadas executa a fase submersa da braçada de borboleta finalizando bem ao final da extensão de seus braços. A recuperação não será aérea, os braços vão retornar a frente como na recuperação do nado peito. O atleta mantém os braços estirados à frente e volta aos movimentos de pernada.
Grande educativo para atletas que tem problema na finalização da braçada de borboleta ou falta de potência na ação da braçada. Educativo de moderada dificuldade inicial mas quando o atleta pegar o “jeito” ficará bem fácil de ser executado.

Até mais.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Só um comentário.....



Para quem ainda acha que a fase submersa não é importante nos estilos de natação, principalmente nas competições, é só dar uma olhada na prova classificatória dos 200 borboleta, onde nadaram Kaio Marcio e Michael Phelps, na manhã de hoje (Brasil).
Depois da virada dos 150 metros, os dois ondularam absurda e lindamente, se destacando demais dos outros competidores e abrindo gande vantagem para o término da prova.

101 dicas para melhorar suas aulas (11 a 20)



11 - Aceite mudancas sem restrições.
12 - Use a ciência do esporte como referência para seu trabalho. A arte do treinamento é dirigida pela ciência da performance.
13 - Esteja sempre buscando a informação, não espere as novidades caírem a sua volta.
14 - Treine com o seu coração mas não esqueça dos básicos. Segurança, fatores ligados a suas instalações, cuide da saúde e principalmente da convivência de seus nadadores.
15 - Acredite nos seus atletas. Eles acreditam em você.
16 - Roube idéias de outros esportes e melhore-as no seu trabalho.
17 - Não seja repetitivo nas suas orientações, crie independência no seu grupo.
18 - Ouça com seus olhos e veja com seus ouvidos.
19 - Atitude + Aplicação + Habilidade = Resultados
20 - Treine a pessoa, não o atleta. Treine a pessoa não a performance ou o resultado.

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

EDUCATIVOS PARA BRAÇADA DO NADO CRAWL


1 - com o braço estendido, realizar 1 braçada com o braço direito e uma com o braço esquerdo, trocando a braçada quando as mãos se tocarem à frente do corpo (pegada dupla)
Variações:
a - com a pegada dupla na coxa
b - fazendo duas com cada braço
c - fazendo 3 braçadas com cada braço
d - fazendo duas braçadas com o direito, 1 com o esquerdo e vice-versa

2 - CACHORRÃO - nadar cachorrinho com extensão total dos braços tanto para frente quanto para trás.
Variações:
a - com snorkel
b - com a cabeça sempre fora da água
c - com respiração de crawl sempre do mesmo lado
e - com respiração de crawl bilateral
f - com respiração de borboleta

3 - PEGADA DUPLA COM RASPAGEM - fazer a pegada dupla, raspando o dedão no corpo durante a fase de recuperação - para ensinar a recuperar com o cotovelo flexionado
Variações:
a - tocando o dedão na coxa, no ombro e estendendo o braço à frente
b - com prancha entre as pernas - finalizar a braçada batendo a palma da mão na prancha

4 - nadar tocando o dedão em uma marca na coxa feita previamente com caneta hidrográfica

5 - nadar pegada dupla fazendo uma recuperação com braço estendido, outra com cotovelo alto

6 - nadar crawl com as mãos fechadas
Variações:
a - com uma mão fechada e uma mão aberta
b - abrindo e fechando os dedos das mãos
c - afastando e juntando os dedos das mãos
d - girando o punho enquanto faz a puxada

7 - nadar somente com o braço direito ou somente com o braço esquerdo
Variações:
a - com a mão parada à frente do corpo
b - com a mão parada na coxa
c - com a mão parada no ombro e cotovelo alto


8 - crawl de polo - nadar crawl com a cabeça fora da água, olhando para a frente

9 - poppov - nadar crawl com pernada de borboleta -a pernada deve acontecer quando uma mão entrar na água

10 - nadar crawl de ré - fazer todo o movimento em sentido inverso como se estivesse voltando o filme.

Até mais

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

MAIS CONSIDERAÇÕES SOBRE O CRAWL COM BRAÇO RETO...


Sei que já falei sobre este tema no blog, mas também acho que nunca é demais. Durante toda a minha vida como professor e técnico, aprendi que a resposta mais certa para todas as perguntas é DEPENDE.
Com o crawl de braço reto é a mesma coisa. O crawl com braço estendido é bom? Depende.
Depende do nível do aluno, depende do objetivo da aula, depende do objetivo do exercício, depende do objetivo do aluno, depende da época de treinamento, depende...
Acredito sinceramente que na fase de iniciação, o crawl estendido é a melhor indicação, pois dá ao aluno um padrão de nado muito bom rapidamente; dá ao estilo uma braçada ampla e correta e uma finalização alongada, ou seja, possibilita ao estilo do aluno uma base sólida para posteriores mudanças. E não é só isso.
Existem alunos que se adaptam melhor ao estilo de crawl com o braço estendido na recuperação do que com os braços flexionados, existem estilos de nado que se deslocam mais rapidamente de forma estendida do que flexionada, se a frase preferida da educação física "cada um é cada um" estiver certa, este é o mais correto exemplo. Para cada aluno um estilo, para cada pessoa seu próprio nado, então não podemos padronizar todo mundo sob um único foco.
Até mais.

DESCRIÇÃO DA TÉCNICA - BRAÇADA DE CRAWL

O primeiro a ser aprendido, o mais veloz, o mais popular, considerada prova mais clássica da natação, hoje vamos falar da fase aquática da braçada do nado crawl.
Quando comecei a escrever este blog, provavelmente eu descreveria tecnicamente a braçada com base nas palavras dos livros de natação porém, depois de algum tempo e alguns ajustes farei diferente.
Em primeiro lugar, vou falar daquilo em que acredito no nado crawl - a tríade perfeita da iniciação - mão dura, braço reto e perna forte.
Se seu aluno possui estas três coisas, ele provavelmente nada um crawl de encher os olhos e isso, é o mais importante. Um estilo nestas condições não tem como ser feio, muito menos improdutivo, por isso chamo de tríade perfeita.
Como descrição da fase aquática da braçada, temos o seguinte:
A pegada começa com o braço estendido à frente com a mão entrando na linha do prolongamento do nariz, e a mão com a palma voltada para fora num ângulo de aproximadamente 45º; em seguida há o agarre, com uma ligeira flexão do cotovelo para fora. Neste momento, se inicia a fase de propulsão da braçada com a mão passando por baixo do rosto e peito, com o cotovelo chegando no ponto máximo de flexão e o movimento passará então de uma puxada, para uma empurrada.
Há neste ponto uma grande perda de potência, pois esta troca rápida de puxão para empurrão não é natural para o ser humano, portanto o atleta/aluno deve ficar atento para minimizar ao máximo este problema.
Passada esta fase de transição, o braço será cada vez mais estendido e deverá ser cada vez mais acelerado, pois é a aceleração que gerará a potência necessária para um maior deslocamento do corpo, terminando então com a mão finalizando o movimento junto à coxa e iniciando a recuperação.
Pontos importantes da braçada:
1 - O estilo deve ser alongado e firme;
2 - Existe um rolamento natural do corpo como no nado costas;
3 - As mãos devem estar sempre firmes com os dedos fechados;
4 - As mãos devem passar sob o corpo na fase de propulsão e não ao lado dele, para conseguir o máximo de força na braçada;
5 - Do início ao fim, o aluno deve buscar a aceleração constante da braçada;
6 - A finalização é a parte mais forte e rápida da braçada;
Detalhes sobre batimento de pernas, posicionamento da cabeça e respiração serão discutidos em posts exclusivos mais à frente.
Até mais.

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

DUVIDO QUE VOCÊ FAÇA ISSO!

Treinamento é tudo! Que tal ver se você, ou seu alunos conseguem fazer isto?

SOBRE O USO DE MATERIAIS


Tenho ouvido muita gente pregando o não uso de materiais (prancha, flutuadores, etc.) nas aulas de natação. Na minha opinião, o uso dos materiais é muito importante nas aulas, pelo simples fato de que quanto menos material eu tenho para trabalhar, menor será minha variação dos exercícios nas aulas.
Sempre falamos aqui em criatividade, em variação e em exercícios diferentes então, restringir o uso de materiais, na minha opinião, é ir contra tudo isso.
Claro que o que não podemos fazer é ficar DEPENDENTES dos materiais e utilizá-los sempre da mesma forma, isto também restringe a criatividade. Uma prancha não pode ser usada somente na horizontal para fazer exercícios de perna, como também o flutuador só para exercícios de braço. Posso fazer braço com prancha entre as pernas, perna com prancha na vertical, cachorrinho equilibrando a prancha na cabeça, cadeirinha sentado na prancha, “surfar” em pé na prancha se deslocando com os braços, e por aí vai.
Também como variação, posso e devo ter a “semana ou aula sem material”, isto também ativa a minha criatividade e é positivo. Também posso utilizar materiais não convencionais, como por exemplo, garrafa de refrigerante, bolinha de tênis, pedra, cano, camiseta, corda, etc.
Resumindo, quanto mais variação melhor, quanto mais material melhor, quanto maior o numero de movimentos melhor, agora, tudo com objetivo, senão é dar banho de piscina e estamos aqui para dar AULA.

Até mais.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

EDUCATIVOS PARA PERNADA DE BORBOLETA


Vendo a imagem ao lado, percebemos que a eficiência é a melhor arma para a sobrevivência, então siga estas dicas para melhorar sua pernada de borboleta, senão, vai acabar como nossa amiga aí.....rsrsrsr!

A pernada de borboleta é fundamental para o nado pois desempenha várias funções, como: 1 – sustentação do corpo, equilíbrio, ritmo do nado, auxilia na recuperação da braçada e na propulsão. Além disso, atua como ondulação submersa que funciona também nos estilos de costas e crawl. Portanto, ter uma boa pernada de borboleta hoje na natação é fundamental.
Como educativos para a pernada de borboleta eu utilizo, entre outros, estes aqui:
1 – com snorkel : pernadas com as mãos nas coxas prestando atenção na movimentação que as mãos fazem sobre as pernas, elas devem deslizar sobre as coxas, assim o nadador percebe a movimentação dos quadris;
2 – perna lateral – fazer o movimento de pernas de borbo de lado, para trabalhar com força o tempo todo – importante fazer força para os dois sentidos, tanto quando faz força em direção ao peito do pé, quanto em direção ao calcanhar;
3 – perna em decúbito ventral – mesmo procedimento que o anterior, porém de barriga para cima, isto auxilia ao aluno perceber o quanto ele está flexionando os joelhos, já que se o movimento for acentuado, os joelhos sairão da água, o que é incorreto;
4 – perna vertical – fazer a perna de borboleta em posição vertical – auxilia na melhoria da posição do corpo e no aumento da força da pernada, pois deve-se vencer a força da gravidade e manter seu corpo o mais alto na água possível – pode-se variar o exercício colocando as mãos nas coxas, nos ombros, fora da água ou estendidas para cima – segurando ou não pesos nas mãos, subindo mais ou menos em rrelação à linha da água;
5 – pernada com flutuador ou prancha entre as pernas – para corrigir pernadas que abrem os joelhos na hora de colocar a força na perna;
6 – pernada respirando no ritmo – com as mãos nas coxas, executar a pernada fazendo a respiração como se estivesse nadando, sem o auxílio dos braços – exercício muito bom para ritmo de nado e respiração, pois o aluno tem que acertar a respiração com a força e ritmo da pernada, sem usar os braços;

Todos os exercícios acima podem ser executados com pés-de-pato como variações de aula.
Importante frisar que a aplicação da força na pernada de borboleta deve ocorrer nos dois sentidos - tanto em direção ao peito do pé, quanto em direção ao calcanhar.

Até mais.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

SÉRIES CURTAS SÃO INTENSAS?



Outra dúvida que sempre surge é se um treinamento ou aula utilizando séries curtas (20x25 metros, por exemplo) não pode prejudicar meu treinamento aeróbio?
O que dá o tom de intensidade à aula ou treinamento não é somente a metragem da série, mas principalmente o intervalo e a intensidade com que é nadada.
Como sempre falamos aqui, para se corrigir os estilos, sempre é interessante utilizar repetições curtas de metragem, para que os alunos consigam manter a técnica por todo o período de execução. É muito mais tranqüilo manter a técnica em 20 tiros de 25 metros do que em 5 tiros de 100 metros, sendo que a metragem final da série é a mesma. Porém, para que além de corrigir o estilo, você também trabalhe a parte aeróbia, é importante que o intervalo entre os tiros seja muito curto (entre 5 e 10 segundos). Tente o seguinte:
Vamos supor que a série seja 20x25 nadando crawl com o braço reto, raspando o dedão na coxa na finalização da braçada, com pegada dupla. Solte a série, quando o aluno, ou os alunos chegarem ao outro lado,fale " lembrem de manter o braço reto", e solte a série - na outra borda " pedi para raspar o dedão na coxa" e solta a turma - na outra borda " não esqueçam de manter o batimento de pernas, etc...
Para cada chegada na borda, uma correção, isto vai dar o tempo de descanso, vai mostrar ao seu aluno que você realmente está dando aula e não "enrolando" e, tenho certeza que seus resultados na correção dos estilos será muito melhor!
É óbvio que este tipo de estratégia pode e deve ser usada em treinamentos seja qual for o nível ou idade dos atletas.
Boas aulas.
Até a próxima.

QUALIDADE OU INTENSIDADE NA CORREÇÃO?


Muitas pessoas acham que para se corrigir os movimentos do aluno, a intensidade do treinamento deve ser baixa. Pessoalmente discordo dessa posição, acredito sim, que o movimento deve ser fracionado em vários pedaços e etapas, porém a intensidade da execução pode e deve ser de média para forte.
Vocês já tentaram nadar o mais devagar que conseguiriam? É muito difícil. Nadar devagar é muito mais difícil do que nadar com intensidade, então devemos supor que tentar corrigir o estilo nadando lento, deve ser muito mais difícil do que com uma intensidade média ou forte, porquê?
Porque uma intensidade mais alta de nado faz com que o corpo fique mais na superfície, aumentando o equilíbrio, conseqüentemente melhorando a posição do corpo e, por sua vez intensificando o deslocamento na água, tudo isso vai facilitar a correção.
Boas aulas.

sábado, 2 de agosto de 2008

Prá quem acha que piscina é lugar chato!

Domingão de tempo feio aqui em São Paulo, nada melhor do que umas boas risadas com este trecho do Mr. Bean na piscina, vale a pena ver.


PRÁ DESCONTRAIR!

Não é que nosso esporte também virou foco dos mangás? Tudo bem que nosso herói aí não é nenhum Michael Phelps, mas tudo bem, dá uma olhadinha na figura!


PROGRAMAÇÃO DAS PRIMEIRAS PROVAS BRASILEIRAS


Abaixo a programação dos atletas brasileiros para os dois primeiros dia na natação dos Jogos Olímpicos 2008.

DIA 9
07:30 ELIMINATÓRIA 400 MEDLEY MASC THIAGO PEREIRA
08:00 ELIMINATÓRIA 100 BORBOLETA FEM DAYNARA DE PAULA E GABRIELA SILVA
09:21 ELIMINATÓRIA 400 MEDLEY FEM JOANNA MARANHÃO
09:45 ELIMINATÓRIA 100 PEITO MASC FELIPE FRANÇA
10:22 ELIMINATÓRIA 4X100 LIVRE FEM

23:00 FINAL 400 MEDLEY MASC
23:10 SEMIFINAL 100 BORBOLETA FEM
23:39 FINAL 400 MEDLEY FEM
23:58 SEMIFINAL 100 PEITO MASC
00:18 FINAL 4X100 LIVRE FEM

DIA 10
07:30 ELIMINATÓRIA 100 COSTAS FEM FABÍLOA MOLINA
07:54 ELIMINATÓRIA 200 LIVRE MAS RODRIGO CASTRO
09:08 ELIMINATÓRIA 100 COSTAS MAS GUILHERME GUIDO
10:11 ELIMINATÓRIA 4X100 LIVRE MAS

23:00 SEMIFINAL 100 COSTAS FEM
23:10 SEMIFINAL 200 LIVRES MAS
23:21 FINAL 100 BORBOLETA FEM
23:27 FINAL 100 PEITO MAS
23:53 SEMIFINAL 100 COSTAS MAS
00:10 FINAL 4X100 LIVRE MAS

O BLOG NÃO É SOBRE COMPETIÇÃO, MAS EM ANO OLÍMPICO...


Eu sei que o objetivo do blog não é falar sobre competição, mas em véspera de Olimpíadas, não tem como evitar. Contando mais uma vez com a grande colaboração do site www.bestswimming.com.br, aí vai a lista dos nadadores brasileiros e suas respectivas provas:

Exclusiva Best Swimming/Blog do Coach

50 livre feminino - Flávia Delaroli
100 livre feminino - Tatiana Lemos
200 livre feminino - Monique Ferreira
400 livre feminino - Monique Ferreira
100 costas feminino - Fabíola Molina
100 peito feminino - Tatiane Sakemi
200 peito feminino - Tatiane Sakemi
100 borboleta feminino - Gabriella Silva e Daynara de Paula
200 borboleta feminino - Joanna Maranhão
200 medley feminino - Joanna Maranhão
400 medley feminino - Joanna Maranhão
4 x 100 livre feminino - Flávia, Tatiana, Michelle, Monique
4 x 100 medley feminino - Fabíola, Tatiane, Gabriella, Tatiana

50 livre masculino - César Cielo e Nicholas Santos
100 livre masculino - César Cielo
200 livre masculino - Rodrigo Castro
100 costas masculino - Guilherme Guido
200 costas masculino - Lucas Salatta
100 peito masculino - Henrique Barbosa e Felipe França
200 peito masculino - Henrique Barbosa
100 borboleta masculino - Gabriel Mangabeira e Kaio Márcio
200 borboleta masculino - Kaio Márcio
200 medley masculino - Thiago Pereira
400 medley masculino - Thiago Pereira
4 x 100 livre masculino- Tomada de tempo em Beijing
4 x 200 livre masculino - Thiago, Rodrigo, Lucas, Nicolas
4 x 100 medley - Guido, Henrique, Kaio, Cielo

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

DESCRIÇÃO DA TÉCNICA - PERNADA DO BORBOLETA


Muita gente acha o nado de borboleta é o mais difícil. Em termos de coordenação, ele é bem mais fácil do que o peito por exemplo, porém é um estilo que exige muita força e, daí sua dificuldade.
A pernada no nado de borboleta é de vital importância, 1 - para manter o corpo o mais alto possível, 2 - para auxiliar na fase aérea da braçada e 3 - para dar o ritmo ao nado. Sim, é a perna que dá o ritmo ao nado e não a braçada.
Se a pernada de borboleta for lenta, o nado também o será, se quero aumentar o ritmo do nado, tenho que acelerar a pernada primeiro, e por aí vai...
A grande força da pernada do borboleta nasce nos quadris. É como uma onda que percorre o corpo e sai pela ponta dos dedos dos pés. Um dado importante é que a aplicação da força deve ser feita tanto para baixo, quanto para cima na pernada, e não só para baixo como a maioria das pessoas pensa.
Os joelhos não devem estar muito afastados, porém não precisam estar colados um ao outro e os pés deves estar estendidos e´se possível com os dedos voltados um pouco para dentro, sem que, com isso, os calcanhares se afastem.
O movimento da pernada deve ser contínuo e forte o tempo todo, não existem paradas ou prnadas mais fortes e mais fracas. Deve-se tentar ao mesmo tempo ter uma pernada forte e curta, ou seja, quanto maior a distância entre a ponta dos pés no ponto mais alto e mais baixo da pernada pior, porque isso aumenta o "tamanho" do corpo na água, aumentando a resistância da água e o arrasto.
Para uma boa pernada, é muito importante que os tornozelos sejam muito bem alongados, pois isto facilitará demais o trabalho no deslocamento da água.
O vídeo abaixo mostra formas diferentes de se fazer pernada de borboleta para se aplicar nas aulas com a atleta Misty Haiman.

POR QUE USAMOS TOUCA?


Li hoje um artigo muito interessante do Prof. Bona sobre o uso da touca nas aulas de natação.
Às vezes ficamos tão preocupados com coisas ditas "mais importantes" que esquecemos de algo tão básico e tão fundamental. No artigo, o professor diz que, como alguns alunos acreditam, a touca não serve para deixar o cabelo seco, mas sim para melhorar a higiene da piscina, pois ninguém gosta de comer cabelo enquanto nada; para diferenciar níveis em algumas metodologias e para acostumar os alunos que participam de festivais e travessias com o uso do material.
O mesmo artigo discorre sobre os tipos de touca: lycra, látex e silicone e suas aplicações, vantagens e desvantagens.
Vale a pena ler o artigo.
O endereço é:
http://blog.educacaofisica.com.br/dentrodagua/mostra_texto.asp?noticia=200

OBRIGADO AO BEST SWIMMING


Hoje tive uma excelente e honrada surpresa com a citação deste blog, num dos sites mais importantes de natação do mundo o www.bestswimming.com.br/blog.
Isto me encheu de orgulho e também aumentou demais minha responsabilidade, que já era grande, em escrever este blog.
Agradeço ao Coach Alex pela menção e pelas matérias que sempre estão presentes aqui, tamanha a qualidade e importância que têm.
Abraços.
Não deixem de visitar:
www.bestswimming.com.br