quinta-feira, 17 de julho de 2008

A PERNADA DE COULSILMAN



Inicialmente, acreditava-se que a pernada em chicotada era superior porque a água podeia ser projetada para trás pela extensão das pernas e pelo uso da sola dos pés como remos. Contudo, hoje em dia, sabemos que os pés (como os braços) palmateiam-se em trajetos circulares. Firby (1975) demonstrou a singular capacidade dos pés em se movimentarem como hélices. Ele construiu em gesso, dois modelos de pés, unindo-os pelas extremidades de modo que formasse uma hélice com duas pás. O hélipece (como foi chamado) foi acoplado a um barco de brinquedo por meio de um elástico. Quando o elástico era enrolado e liberado, os pés de gesso impulsionavam o barco para a frente, ao girar de um lado para outro, do mesmo modo que um motor de popa impulsionaria um barco de verdade. O estilo de pernada utilizado atulamente pela maioria dos nadadores de classe mundial praticantes do nado de peito é, na verdade, uma movimentação diagonal das pernas (à semelhança de uma hélice), em que os pés palmateiam para fora, para baixo e para dentro, bem como para trás. As solas dos pés são as superfícies propulsivas principais, deslocando água para trás como fólios, e não empurrando-as para trás cmo remos. Na pernada de peito há quatro fases: varredura para fora, para dentro, sustentação e deslizameno, que falarei na próxima atualização.

2 comentários:

< disse...

a pernada de peito e defise mai um dia eu chego la

< disse...

a pernada de peito e defise mai um dia eu chego la